Paralisação é teste para greve geral

A paralisação de alguns professores da UnB no dia 22/09/2016 não é um ato isolado, mas sim uma ação coordenada com partidos, sindicatos de outras categorias e movimentos de esquerda. A Frente Brasil Popular, “frente ampla” que congrega vários outros grupos de esquerda sob uma unidade estratégica comum, convocou a paralisação do dia 22 como preparação para uma greve geral.

O dia de hoje está reservado para diversos atos dentro e fora da faculdade, com objetivo de “mostrar força” e “capacidade de mobilização”. Isso foi explicitado no trecho:

“Sabendo que o sucesso dessa jornada, será uma forma de ir esquentando os tamborins, para logo mais realizarmos uma GRANDE GREVE GERAL, que de fato enfrente o governo golpista e seu plano neoliberal” 1

Uma postagem 2 da Frente Brasil Popular mostra que centrais sindicais estão coordenadas e paralisarão no mesmo dia. Finalizam o texto com um “Rumo à Greve Geral”, o que deixa claro, mais uma vez, o caráter de teste do evento.

Esses grupos, incluindo CAs e sindicatos da UnB, utilizarão suas posições de poder para propagandear que “a UnB apoia greve” e inflar o apoio do povo. Não podemos ficar quietos perante isso. Cada estudante contrário à greve deve se posicionar e ficar preparado para protestar contra os abusos socialistas em defesa do ex-governo corrupto.

A partir de hoje, a indiferença política não é mais uma opção. Aqueles que “gostam de política” falarão em seu nome.

Referências

  1. http://www.pagina13.org.br/frente-brasil-popular/frente-brasil-popular-convoca-militancia-para-paralisacao-nacional-no-dia-2209/#.V-NDW_krLIU
  2. http://www.frentebrasilpopular.org.br/noticias/22-de-setembro-e-dia-nacional-de-paralisacao-e-mobilizacao-6e4e/

Mantenha-se informado

Receba resumos semanais do que aconteceu no Reação Universitária diretamente no seu email

Ou nos acompanhe nas redes sociais