Fidel castro morreu

Na madrugada deste sábado, 26 de novembro, a morte de Fidel Castro foi anunciado pelo governo cubano. A esquerda mundial perdeu um de seus principais ícones: um ditador cruel e sanguinário que perseguiu, oprimiu e matou, sem peso na consciência, o seu próprio povo. Fidel Castro carrega para o túmulo o peso de mais de cem mil compatriotas mortos, dezenas de milhares de pessoas assassinadas por guerrilhas rurais e urbanas apoiadas por seu regime de terror, e o título de ditador moderno que mais tempo esteve no poder (52 anos e 62 dias).

A esquerda brasileira, especialmente grupos do movimento estudantil, estão de luto. Nós, do MRU, não lamentamos a morte desse facínora. Desejamos, sim, que ela seja o princípio da libertação do povo cubano, há décadas esmagado sob o jugo do comunismo.

Mantenha-se informado

Receba resumos semanais do que aconteceu no Reação Universitária diretamente no seu email

Ou nos acompanhe nas redes sociais